TRATAMENTO CORPORAL

tratamentos-estéticos-para-eliminar-gord

Gordura Localizada

A lipodistrofia ou gordura localizada é o acúmulo de tecido adiposo em determinadas áreas do corpo e  variam de pessoa para pessoa. Alguns indivíduos acumulam gordura na região abdominal (tendência androide) e outros na região do quadril (tendência ginoide).

O grau de adiposidade de uma pessoa depende de vários fatores, entre eles destacam-se,  genética, alimentação, sedentarismo, disfunções hormonais, má postura, entre outros. 

Os depósitos de gordura localizados em determinadas regiões do organismo são difíceis de serem corrigidos por regimes alimentares ou exercícios. Exemplos deste tipo de adiposidade incluem a gordura acumulada na região abdominal inferior e na região dos quadris, onde a estética avançada pode atuar.

Na mulher as fases de alterações hormonais ao longo da vida, levam a duplicação de células gordurosas. A produção maior de testosterona no sexo masculino, previne o maior acúmulo da gordura localizada,  mas hábitos considerados ruins, como o uso de  bebidas alcoólicas auxiliam principalmente no aumento da gordura abdominal. 

liftingcoxa.jpg

Celulite

Celulite é o nome popular da lipodistrofia ginoide, que nada mais é que o depósito de gordura sob a pele. Ela se caracteriza pelo aspecto ondulado da epiderme, apresentando “casca de laranja”, em algumas áreas do corpo. Afeta cerca de 95% das mulheres após a puberdade, de todas as etnias, embora seja mais comum entre as de pele branca. Raramente é observada em homens, mas pode ocorrer quando houver algum desequilíbrio hormonal.

 

Não é considerada uma doença, contudo é uma preocupação estética importante para um grande número de mulheres. A celulite tende a ocorrer nas áreas onde a gordura está sob a influência do estrógeno (hormônio feminino), como nos quadris, coxas e nádegas; também pode ser observada nas mamas, parte inferior do abdome, braços e nuca – curiosamente áreas em que é observado o padrão feminino de deposição de gordura. A obesidade não é condição necessária para a sua existência; há mulheres magras com celulite.

 

Causas
A causa da celulite não é totalmente conhecida; existem inúmeras suposições não comprovadas. Os fatores predisponentes parecem ser hereditários, tais como: sexo, etnia, biotipo corporal e distribuição de gordura. As “covinhas” da celulite ocorrem devido à saliência da gordura hipodérmica na pele.   

 

Fatores
1) Hereditariedade: o fator genético é importante. 

 

2) Problemas circulatórios: quando o sangue não flui bem, a drenagem das toxinas fica prejudicada e isso deixa o líquido que fica entre as células mais viscoso; 
 

3) Alterações hormonais: níveis de estrogênio (hormônio feminino) muito altos provocam disfunções no metabolismo que podem criar ou agravar a celulite. A pílula anticoncepcional também pode desencadear o problema, pois adiciona mais uma dose de hormônios circulando em seu organismo; 
 

4) Também é importante analisar o estilo de vida. A má alimentação (excesso de açúcares e carboidratos), o sedentarismo, a tensão emocional e o excesso de toxinas no organismo contribuem para o aparecimento da celulite.

flacidez (1).jpg

Flacidez

A perda da elasticidade da pele e do tônus muscular podem atingir o rosto e o corpo e é resultado de um processo natural da pele, decorrente do envelhecimento que se dá com o passar dos anos. Ela pode ser agravada por maus hábitos, como uma alimentação ruim e sedentarismo. O surgimento da flacidez está relacionado principalmente, à queda na produção de colágeno, que promove firmeza à pele e de ácido hialurônico, molécula responsável por deixar a pele preenchida. Com o avanço da idade e a diminuição da síntese dessas substâncias, a flacidez e os sinais do envelhecimento da pele ficam mais aparentes.

 

A partir dos 25 anos já é possível notar os efeitos da flacidez na pele. No entanto, essa perda de sustentação aparece com mais frequência, aos 40 anos e se intensifica após a menopausa nas mulheres e em idosos de ambos os sexos, pois há a substituição de parte dos músculos por gordura. Além disso, pessoas que tiveram um perda de peso drástica, que têm a pele clara e aquelas que se expõem ao sol com frequência, principalmente sem a devida proteção, também são bastante afetadas.

 

Prevenir a flacidez é possível, desenvolvendo hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos, ter boa alimentação, manter uma rotina diária de cuidados com a pele e realização constante de tratamentos estéticos.  

 

Dica
 

Alimentação rica em antioxidantes, como cereais e peixes, ajudam a manter a pele firme.
 

Praticar atividades físicas regularmente, como pilates, yoga e musculação, que estimulam o tônus muscular, reduzindo as chances da gordura esconder-se no músculo, ocasionando a flacidez.  O exercício conjunto com a alimentação auxiliam a não variar o peso e evita o efeito sanfona, que deixa a pele flácida e pode causar estrias.

 

Fazer massagens e exercícios dos músculos faciais também auxiliam na manutenção dos mesmos. 

 

O fltro solar é um aliado constante  contra o envelhecimento, pois a exposição ao sol sem proteção faz com que a pele perca força e o DNA da célula sofra alterações, levando a flacidez. Hoje os cosméticos com altas tecnologias também auxiliam na prevenção e tratamento da pele.

Estrias-vermelhas-3-744x446.jpg

Estrias

Esse estriamento se forma quando há destruição de fibras elásticas e colágenas na pele, normalmente causada por um estiramento da pele. As linhas são formadas por causa da diminuição da espessura da derme e da epiderme. Elas podem coçar e arder, mas em geral não apresentam sintomas com seu aparecimento.

 

Existem dois tipos de estrias:

 

As estrias róseas ou arroxeadas são recentes, podem apresentar discreta coceira e são acompanhadas por um processo inflamatório local; 
 

As estrias brancas, são mais antigas, já ocorreu uma atrofia mais intensa das fibras colágenas e elásticas, e não há inflamação envolvida.

 

Em pessoas de pele morena ou negra as estrias podem aparecer com uma coloração mais escura do que seu (o) tom de pele.

 

Causas

 

As estrias normalmente se formam quando há estiramento da pele, que no geral é causado por um aumento do volume corpóreo, um emagrecimento rápido e crescimento na puberdade. Esse aumento pode ocorrer por causa de gravidez, aumento de peso, colocação de prótese mamária, uso de anabolizantes, ou por fatores hormonais como o uso de estrógeno e hormônios adrenocorticais. O uso prolongado de tratamentos com corticoides também podem desencadear estrias no corpo. Fatores genéticos também podem estar envolvidos, assim como alimentação pobre em nutrientes e rica em açúcares.


Tratamento

 

A eficácia do tratamento irá depender da fase em que a estria está, o local em que a estria se encontra e sua espessura. É importante lembrar que não há cura total, mas há significativa melhora em sua aparência. A genética do paciente, a raça, a idade, alimentação e a produção de colágeno individual são fatores que também influenciam no sucesso do tratamento.

 

Além disso, quanto mais cedo o tratamento for iniciado, maiores as chances de que os resultados sejam positivos.

 

Há vários tipos de tratamento, desde cremes tópicos, aplicação de ácidos, laser e peeling. O diagnóstico bem feito indicará o melhor protocolo de tratamento para cada caso.